Direitos dos autores reservados!

Guarda presidencial pode ser a culpada pela trágedia em Nampula no Showmício de Nyusi

Nyusi em Nampula
News

Acções da Guarda Presidencial podem estar por trás da tragédia de Nampula, que matou 10 pessoas e feriu 98, segundo uma investigação do Boletim do CIP, que ouviu pessoas presentes no evento, incluindo jornalistas e agentes policiais. Na quarta-feira, 11 de Setembro, o Presidente Filipe Nyusi, candidato da Frelimo, fez um “showmício” (show de música grátis+comício) no Estádio de Futebol 25 de Junho, de Nampula.

 

O recinto pode acomodar 5.000 pessoas sentadas, mas muitas outras estavam lá, em pé no campo. Filipe Nyusi havia acabado de sair do estádio quando milhares de pessoas tentaram sair ao mesmo tempo usando o único portão aberto. Algumas caíram e foram pisoteadas até à morte. Curiosamente, nenhuma televisão mostrou o momento do incidente, nem imagens de “smartphones” circulam nas redes sociais, como seria de esperar.

 

Nampula é uma cidade da oposição, onde a Frelimo venceu pela última vez em 2008. As eleições municipais de 2013 foram vencidas pelo MDM, e uma eleição suplementar em 2017 e as eleições municipais de 2018 foram vencidas pela Renamo. Muitos na plateia eram apoiantes da Frelimo que foram trazidos de longas distâncias para encher o estádio. Milhares de pessoas, incluindo muitas que foram ver o concerto de borla, ficaram presas por longas horas e não puderam sair. Nyusi estava programado para chegar às 15:00 e depois disso ninguém poderia sair. Ele chegou meia hora atrasado. Seu discurso terminou às 17 horas.

 

Depois que o comboio de carros de luxo de Nyusi saiu pelo portão principal, milhares de pessoas tentaram sair a pé atrás dos carros, mas o portão foi fechado novamente. As pessoas se aglomeravam perto do único portão que estava aberto durante o dia, mas ninguém podia sair.

Não deixe de ver:  Históricos da Frelimo dão costas ao seu candidato Filipe Jacinto Nyusi

 

Assim que Filipe Nyusi e sua comitiva foram embora, a maioria dos presentes mostrava-se impaciente; queriam sair ao mesmo tempo, mas o portão foi fechado novamente. Muitos jornalistas já se tinham retirado em carros da comitiva. Outros, que estavam a pé, não foram autorizados a sair. “Consegui esgueirar-me pelo pequeno portão perto da bilheteria, porque tinha de cumprir prazos”, disse um jornalista.

 

Outros candidatos à Presidência da República são protegidos pela Polícia. Mas Filipe Nyusi, como Presidente em exercício, é protegido pela Guarda Presidencial (Casa Militar da Presidência da República). O site da Presidência explica que “é função da Casa Militar proteger os lugares ocupados, permanente ou provisoriamente, pelo Chefe de Estado, incluindo a regulamentação e controle do acesso às áreas ocupadas pelo Presidente da República” https://www.presidencia.gov.mz/por/Presidencia/A-Casa-Militar

 

Em Nampula, foram os agentes da Casa Militar, dirigidos pelo Brig. Eugênio Roque, quem estava no comando – não a Polícia – e foi a Casa Militar quem bloqueou os três portões do estádio. A falta inicial de informações sobre a tragédia ocorreu porque a maioria dos jornalistas já havia saído com o Presidente. Quando a notícia se espalhou, eles correram para o Hospital Central, onde foram bloqueados pela Casa Militar. À mão armada, Eufrasio Gilberto, um operador de câmera da HAQ Televisao, foi forçado a entregar sua câmera. Outros foram forçados pela Casa Militar a apagar as fotos que haviam tirado.

 

Comandante da Polícia de Nampula, Joaquim Sive, não estava no comando

 

Após o incidente, o ministro do Interior, Basílio Monteiro, nomeou uma comissão de investigação de quatro policiais seniores e suspendeu o Comandante Provincial da Polícia, Joaquim Sive. Mas a segurança no evento não foi controlada pela Polícia, porque havia sido assumida pela Casa Militar, que é especificamente responsável pela segurança presidencial. Como o site da Presidência enfatiza: “O pessoal da Casa Militar provém principalmente das forças armadas e das forças policiais, destacadas. Durante o período de destacamento, o pessoal está totalmente subordinado à Direção da Casa Militar”.

Não deixe de ver:  O maior crime da Frelimo não é a corrupção, mas sim a destruição da base do país

 

A Polícia não foi a responsável pela segurança do “showmício”. Basílio Monteiro actuou, como Ministro do Interior, para suspender o Comandante da Provincial, mas ele também era uma parte interessada no caso. Monteiro estava em Nampula no local do incidente que acompanha Filipe Nyusi na campanha. Ele faz parte da campanha de Nyusi como membro da Brigada Central da Frelimo na província da Zambézia. (JH, CIP)

 

 

Não deixe de ver:

Momed Bachir acusado mais uma vez de ser o barão das drogas em Moçambique

Filipe Nyusi “ignora” luto e orienta comícios em Mogovolas e Angoche

Tragédia em Nampula: Campanha de Nyusi termina com dez mortos e feridos

Related posts

Supercarros do filho do presidente da Guiné Equatorial vão a leilão e Moçambique?

Mário StifLer

Resultados finais do recenseamento 2018-2019

Mário StifLer

Morre o fundador do M-pesa aos 61 anos vítima de cancro

Daycon Frans

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Está bem Ver Mais